Em Busca do Poder

Autoria: Yagami_Kamui
Originais - ação/aventura - original
livre - luta/violência - aguardando continuação


Cidade de Salvador, noite, por volta de meia-noite. Um raio caiu do céu, é uma noite sombria e nublada. Um jovem está em cima de um poste.
- É uma Cidade pequena... Impressionante como eles moram aqui. – Ele sussurra.
Ele tem o cabelo loiro. Ele pula do poste de altura de 3 metros e caí suavemente de pé no asfalto!
- Não deve ser difícil achá-los. – Ele diz.
É só quando ele percebe um barulho muito forte, uma buzina de caminhão, o caminhão estava próximo a ele, irá atropelá-lo! Ele olha para o caminhão tranqüilamente.
- Que droga, apesar de pequena, esta cidade é muito barulhenta.
O caminhão continua se aproximando, poucos metros do atropelo. O jovem só estica o braço e abre a mão e diz tranqüilamente:
- Está na hora de parar com esta barulheira.
Cinco centímetros antes do choque a frente do caminhão é amassada, como se batesse em algo muito duro, algo indestrutível.
O motorista ainda olha para ele, mas logo desmaia. O jovem apenas sai andando.


EPISÓDIO 1 – A VOLTA DOS GUERREIROS!


Colégio da cidade de Salvador, primeiro dia de um novo ano letivo, muita conversa, muita bagunça, falta pouco pro sinal da primeira aula tocar. Alguns quarteirões dali num pequeno apartamento onde mora um jovem de nome Sly.
Na mesa de centro uns cartões postais, a Tv está ligada, no noticiário uma reportagem em que um motorista de caminhão dizia ter sido parado por um jovem que usou só suas mãos, ele estava sendo acusado de ter consumido bebida alcoólica antes de dirigir. Mas Sly não presta nenhuma atenção, ele está atrasado para a primeira aula do primeiro ano letivo.
Ele sai correndo, como ele mora a apenas alguns quarteirões do colégio ele faz o trajeto em 10 minutos, ele chega na escola e entra pelo portão principal, anda até o pátio principal, e encontra alguns colegas, eles começam a conversar, falando sobre as férias, é quando sente uma energia sombria por perto, pequena, mas sombria, ele está no meio do pátio principal e tem muitos alunos, ele olha para os lados procurando por algo suspeito, mas não vê nada demais.
“Não é possível que seja uma simples imaginação...“ – Pensa Sly.
Próximo a ele, atrás de uma parede um garoto de cabelos loiros o observa, sorrindo.
Em uma caverna no parque nacional, luzes se ascendem, sarcófagos são revelados emergindo da terra. Um deles se abre e dele sai algo enrolado em ataduras, as ataduras caem, revelando olhos assassinos, um grunhido e logo após um uivo.
- Ener...gia... – Sussurra a fera.
A porta da caverna se abre como se fosse um portão, a fera sai derrubando umas arvores ao redor, ele tem por volta de 2 metros e meio e tem a forma de um lobo humanóide. Ele saí pulando de arvore em arvore em direção a cidade.
As aulas do dia acabam, Sly fala com seus amigos e sai, está escurecendo, ele para em um mercado e compra um refrigerante e saí bebendo, na verdade ele ainda pensa na energia que ele sentiu logo cedo. Ele anda pelas ruas, as ruas estão vazias, são 11 da noite. Sly anda pelos quarteirões e de repente de uma das ruas sai um jovem de cabelos loiros, ele anda em direção contrária a Sly, que senti uma áurea pesada no ar, que fica cada vez mais forte.
Sly está tão concentrado que não percebe o jovem, quando eles se cruzam a áurea fica extremamente forte. Sly pára e o jovem também, lado a lado.
- Você consegue sentir, não é? – Sussurra o jovem.
Sly ouve e fica impressionado, não parecia uma áurea maligna, mas era pesada e o encurralava. Sly o olha, o jovem sorri cinicamente.
- Olá, como está? Senhor guerreiro... – Diz o jovem.
O jovem ataca rapidamente com um soco, mas Sly defende com as duas mãos.
- Quem... quem é você? – Pergunta Sly, assustado.
Sly o olha fixamente, ele está impressionado.
“Eu estou colocando muita força, ele consegue me fazer recuar só com um soco, um simples soco. Por pouco eu não conseguiria defender” – Pensa Sly.
- Eu sei quem é você. Você é um dos guerreiros que defende a terra de ameaças, mas faz tempo que vocês não precisam defendê-la, né? – Diz o jovem.
Sly dá um pulo para trás, se afastando do jovem, ele abaixa os braços, como se descansá-se de uma pressão muito forte, o jovem sorri.
- Meu nome é Calixto, muito prazer. – Diz o jovem.
“Muito prazer? Ele só pode estar brincando. Se ele sabe quem eu sou deveria levar isto mais a sério” – Pensa Sly.
- Eu não tenho nenhum motivo para atacá-lo, me diga quem é você. – Diz Sly.
- Nem eu tenho nenhum motivo para atacá-lo, só me diga onde está o Kamui. – Diz Calixto sorrindo. – Assim não tenho que procurar mais.
- O que você quer com ele?
Sly fica surpreso, ele não sabe o paradeiro de Kamui, ele foi treinar e ninguém sabe o seu paradeiro, assim como os dos outros guerreiros.
- Vamos, não tenho o dia todo, além do que... – Diz Calixto, parando repentinamente.
Calixto olha para os lados, como se procurá-se algo, Sly sente uma forte energia maligna se deslocar de repente.
- Parece que eles começaram a se mover. – Diz Calixto. – Está indo atrás de alguma energia espiritual. Mas ela é muito baixa pra ser de algum guerreiro.
Sly entra em pânico por um momento, ele reconhece a energia, é de Érica, uma amiga com energia espiritual baixa, mas que conseguiu desenvolvê-la a ponto de utilizar esta energia para curar, é uma grande aliada.
- Droga! Ele não pode chegar até lá. – Sussurra Sly.
Sly aumenta sua energia rapidamente, uma áurea de poder o cerca, ele corre em direção a energia maligna, mas antes que percebesse Calixto toma a sua frente.
- Parece que você resolveu me mostrar a sua energia. Mas não vai sair daqui antes que me dê a informação que procuro. – Diz ele.
- Preciso salvar alguém muito importante, então eu vou com tudo. – Diz Sly.
Sly aumenta sua energia de luta, ele parte para cima com uma incrível velocidade, aparecendo atrás de Calixto.
- Acabou. – Diz Sly.
Sly desfere um soco em direção a nuca de Calixto, mas ele não acerta, pois Calixto some. E reaparece atrás de Sly.
- Acabou? Pra quem? – Pergunta Calixto, irônico.
Calixto desfere um chute e acerta Sly, Sly é jogado contra um poste de energia, derrubando-o.
- Você é mais fraco do que eu pensei. – Diz Calixto, gargalhando. – Realmente foi por isso que não tinham interesse em vocês. Mas me diga onde está o Kamui.
- Interesse... – Diz Sly se levantando. – Não sei o que você quer dizer, mas eu tenho que ajudar alguém agora. Então eu vou com tudo.
Sly se coloca de pé, ele olha para sua mão direita.
- Faz muito tempo... – Diz Sly.
Uma energia começa a circular por todo o seu corpo, fazendo uma áurea ao seu redor. Uma áurea dourada, de extremo poder.
Enquanto isso Érica anda pelas ruas do seu bairro, um bairro tranqüilo, ela estava inquieta, sentiu a energia de Sly que parecia estar em combate e se dirige até lá.
- Eu tenho que ajudar. – Diz ela correndo para o local.
De repente ela pára, sente um poder maligno próximo. Olha ao redor para ver quem é, anda mais alguns passos com cautela, olhando em cada esquina. É quando a energia maligna aumenta muito. Ela olha para os lados, está muito próximo, mas ao olhar pra cima ela finalmente vê a causa de todo esse poder maligno, um ser coberto pela sombra de uma casa, ele esta na varanda, os olhos vermelhos brilham na escuridão.
- O... o que é isso? – Sussurra Érica.
Ela começa a tremer, pensa em correr, mas não consegue, o ser a olha e pula da varanda da casa em direção a ela.
- Lobisomen? – Sussurra Érica, que associa a aparência do ser com o monstro de lendas.
O ser mostra suas unhas e parte para acertar Érica. Ela olha aterrorizada, o ser está cada vez mais próximo, nos seus olhos vermelhos pode-se perceber a busca por sangue, por morte.
- Não! – Grita Érica.
O ser ataca. Um buraco é aberto no local no qual foi desferido o ataque, poeira levanta e cobre o lugar junto com energia do ser. Nada pode ser visto até que a poeira abaixa. Sangue se encontra no asfalto, o ser ainda no local do ataque, ele olha para trás e seu ombro é aberto um corte, ele sangra muito.
- Você não deveria atacar deste jeito.
Ele olha pra onde vem à voz, é um jovem q segura Érica nos braços.
- Você não irá feri-la, não enquanto eu estiver vivo. – Diz o jovem.
Ele veste um sobretudo preto e óculos. Érica olha para ele e diz:
- Kamui...
- Sim Érica, eu voltei. – Diz o jovem.
Ela se coloca de pé, e ele se afasta um pouco dela.
- Vou dar um fim neste monstro. – Diz Kamui.
O monstro ruge,se mostra feroz, mostra suas garras e seus caninos gigantes. Ele usa sua velocidade e parte para o ataque contra Kamui. Kamui ajeita seus óculos e concentra energia em sua mão esquerda.
- Parece que vai ser da forma mais difícil! – Diz Kamui.
Ele também parte para o ataque, Érica se assusta com o resultado!


CONTINUA...

 

 



    Próximo Capítulo »»»












fraulein luga - 2008-01-10 21:53:46
Nhããããã.... Tudo se resume é duas palavras......"perfeito demais" E o mal não herderá a Terra....hahahahaha




Bruno_sgnp - 2007-08-24 09:54:07
Pow vei... mais um meio de divulgação da história... deveras decente... \o/ Ah sim, uma hora dessas a trilha sonora sai... =P






Comentar Este Texto VIA FF-SOL
Visualizar Todos os Comentários VIA FF-SOL (2 Comentários Atuais)
 

 

 

 


Esta página faz parte do site FF-SOL