A pascoa do passado.

Ficwriter: Val-Chan
Dragon Ball Z/GT - drama, romance - geral, original
livre - completa


Eu, o príncipe dos sayajins; nunca pensei que um dia ficaria sem ela, sem o meu apoio, minha tormenta, meus olhos e cabelos azuis que me ensinou a não ser tão solitário mesmo com meu jeito orgulhoso, arrogante, teimoso e tempestuoso. Ela me aceitou ao seu lado como seu marido, mesmo não tendo nos casado como Kakaroto se casou com aquela cafona.
Já havia se passado quatro anos desde quando você me deixou aqui nesse planeta e hoje dia da comemoração da páscoa, uma data sempre comemorada por você, sempre gostava de festas, bagunça e ainda me arrastava junto.
A Bulma, como eu sinto a sua falta, como sinto falta dos seus gritos ensurdecedores para que eu pudesse participar dessas festas malucas e me fantasiar.

Eu me arrumei e sai voando na direção da floricultura, comprei as rosas azuis que ela sempre gostava, sai voando novamente até chegar aquele lugar triste e sóbrio.
Eu adentrei o local voando, olhei para baixo e vi a lapide mais majestosa, feita toda em mármore azul com alguns detalhes em branco, com uma placa escrita em alto relevo, e uma pequena estatua dela. Pousei a frente daquela lapide e vi a estatua dela, ela estava linda. Sorri de canto, me abaixei e repousei as rosas sobre a mesma e ainda olhando a lapide me sentei ao chão e disse:
– Oi, Bulma - Dei meu leve sorriso de canto e encarei a estatua de mármore azul. – Estou mais velho, mas ainda tenho a quase a mesma aparência. Eu possuo mais algumas rugas e alguns cabelos grisalhos, mas para um sayajin não pareço ter oitenta anos, em vista desses terráqueos comuns pareço ser o mesmo que você conheceu há tantos anos. Realmente nunca pensei que alguém da minha raça fosse viver tanto tempo para ver você partir - Sorri mais uma vez de canto e olhei para o céu, ele estava azul com algumas nuvens espaçadas e o sol escondia de traz delas.
– Sabe Bulma, hoje é páscoa e você sempre fazia uma grande festa para reunir aqueles amigos vermes que você adorava - Eu olhei em torno de todo aquele cemitério e senti uma leve brisa em meu rosto, as arvores chacoalhando em um vem e vai, algumas folhas caindo e voando com a leve brisa, meus cabelos remexendo desafiando a gravidade.
– Você se lembra da páscoa em que a Bra estava com sete anos – Coloquei a mão no rosto e pensei. “Como eu sou idiota, nem sei se você me ouve, pareceu um louco falando sozinho”. Mas continuei o meu monologo. - Você me obrigou a ir a todas aquelas lojas que vendiam ovos e coelhinhos de chocolate. Eu fui tão mal humorado que você me fez dormir no chão do quarto porque eu não queria ir e nem fazer aquelas coisas que para mim pareciam ser tão idiotas. Ai você escondeu todos os chocolates pela casa e fez uma competição com os garotos e as garotas. Kakaroto comeu quase todos os chocolates, pois ele tinha um ótimo faro.
Novamente voltei a olhar para o céu, nuvens brancas passavam lentamente, oura ou outra elas tampavam o sol que cintilava majestosamente;.
– Nunca pensei que os humanos pudessem envelhecer tão rápidos e partir para o outro mundo. Nunca pensei que um dia eu ia me sentir solitário de novo. Nunca imaginei que o meu orgulho fosse tão grande a ponto de te desapontar tantas vezes. – Parei e passei a mão no mármore, no rosto da estatua como se eu tivesse acariciando o rosto dela de verdade. – Eu não sei se você está me ouvindo, mas com certeza você deve estar no céu em um lugar muito bonito, cheios de chocolates e festas, tudo que você sempre gostou. Eu sempre fui rude com esses costumes bizarros deste planeta, sempre ia contra, achava idiotice, mas daria tudo para você comemorar essa páscoa comigo, só mais uma vez.
Eu me encostei minhas costas na lapide e prossegui;
– Se lembra de quando você contratou um cara que se fantasiou de coelho e eu realmente achei que fosse um extraterrestre – Me lembrar do passado não era meu forte. - Eu já ia atacá-lo quando você me disse que era de mentira e que eu tinha estragado tudo e ficou furiosa comigo. Você foi para um lado e eu fui para o outro. Ficamos o dia todo de cara virada um para o outro, você era tão teimosa e sabia como me convencer a fazer o que você queria. – Era incrível como ela sabia fazer chantagem emocional. - Naquela noite nós fomos para o nosso quarto e fizemos as pazes na cama. A Bulma você era perfeita, mesmo depois de tantos anos.
– Ouve outro ano que na páscoa você inventou de dar ovos de páscoa às crianças carentes. Você me fez ficar ridículo com aquela blusa de coelhinho, eu fiquei muito irritado, principalmente quando Trunks começou a rir quando me viu daquele jeito. Eu perguntei ao bem assim: “Do que você está rindo?” Em um tom ameaçador. – Alisei uma das pétalas das rosas. - Agora Trunks é um pai de família e seu filho já se casou e a esposa dele já está grávida. Nós teremos um bisneto Bulma e Trunks será vovó. Parece ate brincadeira - Eu olhei aquele lugar triste mais uma vez para ver se não havia ninguém me observando, não gostava de demonstrar meus sentimentos às pessoas.
– Nós fomos distribuir aqueles ovos para aquelas crianças e quando acabamos eu estava morto de tão cansado, mesmo sendo sayajin, aquelas atividades terrestres que você sempre inventava me cansava mais do que lutar contra um inimigo forte. Mas eu fiquei ainda mais surpreso quando te vi felizes por fazer aquelas crianças felizes, você estava satisfeita e revigorada, eu te admirei ainda mais naquele dia e sempre que aqueles inúteis dos seus amigos precisavam de dinheiro você dava, também dava cápsulas carros, cápsulas casas. Era incrível como você sempre estava ajudando alguém.
Eu parei um pouco de falar e fiquei observando o seu por vários minutos.

 

 



    Próximo Capítulo »»»












JunoAlBoo - 2011-03-20 00:04:14
Você matou a Bulma!! Tô chorando um rio de lágrimas... Mas ver o Vegeta adorando a garotinha foi muito bonito. Emocionante a sua história. Achei ela até mais bonita que aquela sua outra B&V, " Diário da nossa paixão".

Val-Chan respondeu: Nossa, eu achei que eu tinha saido um pouco da personalidade dele. Arigato mesmo pelo elogio. Bjs e obrigado por ter lido.





Crisuke - 2011-03-19 20:13:32
parabens!!!! voce e a melhor, comfesso que chorei muito quase nao deu para termina de le

Val-Chan respondeu: E foi a única ideia que eu tive pra escrever uma fic sobre a pascoa. Achei que tinha saido um pouco do Vegge durão e orgulhoso. Bom no mais obrigada pelo elogio. Bjs e também obrigado por ler.







Comentar Este Texto VIA FF-SOL
Visualizar Todos os Comentários VIA FF-SOL (2 Comentários Atuais)
 

 

 

 


Esta página faz parte do site FF-SOL